1 – FINALIDADES

1.1 A Federação Maranhense de Triathlon (FEMATRI) organiza anualmente o Campeonato Maranhense de Aquathlon / Duathlon / Triathlon com o objetivo de desenvolver a modalidade no estado do Maranhão, voltado aos atletas, envolvendo as associações, os técnicos, árbitros, entidades públicas ou privadas e aqueles que têm afinidade com esse esporte, podendo as provas ser para atletas federados ou não, conforme Regulamento específico de cada prova.

1.2 A FEMATRI detém o direito das provas do Campeonato Maranhense de Aquathlon / Duathlon / Triathlon do ano corrente, podendo conceder licença (Permit) para outros organizarem, desde que a empresa ou entidade legalmente constituída ou entidade filiada não possua pendências junto à FEMATRI.

2 – DO ATLETA FEDERADO

2.1 – A FEMATRI tem entre seus objetivos, acima de tudo valorizar seu atleta federado, que é a razão de ser da entidade, sendo o agente que contribui para o fortalecimento e funcionamento da entidade.

  1. DO ATLETA INFANTIL E PROVAS INFANTIS

Regulamento do Campeonato Maranhense de Aquathlon / Duathlon / Triathlon

3.1 – Até 13 anos, as provas tem caráter recreativo, lúdico, de iniciação esportiva, com ênfase na oportunidade de participação como aprendizado e não competição, não havendo premiação por categoria.

3.2 – A categoria infantil será dividida em faixas etárias, somente em provas especificamente infantis e ou preparatórias para Campeonato Brasileiro, em distâncias adaptadas. Em todas as outras haverá uma categoria única até 13 anos.

  1. INSCRIÇÕES

4.1 As inscrições só poderão ser feitas pelo site www.fematri.com.br ou nos locais conveniados pela FEMATRI ou no site do evento caso seja organizado por uma empresa ou entidade filiada.

4.2 – O valor das inscrições será tomado como base sempre o valor da inscrição do atleta federado.

4.3 – Para atleta não federado terá sempre um acréscimo de 25% no valor do atleta federado.

4.4 – Para equipes de revezamento, caso haja, haverá sempre um acréscimo de no mínimo 50% no valor do atleta federado.

4.5 – Os atletas infantis, até 13 anos, integrantes de projetos sociais de escolinhas terão isenção da taxa de inscrição.

4.6 – Não serão aceitas inscrições fora do período estabelecido. Um dia após o encerramento serão resolvidos os casos de pendência. Após encaminhado o seguro, nenhum atleta, em nenhuma situação, terá participação na prova.

4.7 – O valor referente à inscrição não será devolvido em caso de desistência ou não comparecimento, como também não poderá ser transferido para outra prova ou outro atleta.

  1. CATEGORIAS DE FAIXAS ETÁRIAS

5.1 – Infanto Juvenil:

  • 14 a 15 anos (M – F)

5.2 – Adulto:

  • 16 a 19 anos (M – F)
  • 20 a 29 anos (M – F)
  • 30 a 39 anos (M – F)
  • 40 a 49 anos (M – F)
  • 50 a 59 anos (M – F)
  • 60 anos + (M – F)
  • Para-atleta (M – F)
  • Mountain Bike (M – F)

5.2.1 – Poderá haver a inclusão das categorias Elite, Sub 23 e Júnior se a etapa for seletiva para Campeonato Brasileiro. Neste caso os atletas maranhenses para efeitos do ranking serão encaminhados na categoria geral e faixa etária conforme o resultado de tempo por ordem de chegada na prova.

5.2.2 – Para fins de inscrição do atleta será considerada a idade em 31 Dezembro de 2017.

5.2.3 – Por falta de quantidade de atletas suficientes no Estado, as categorias intermediárias foram suprimidas, a saber: 20-24 anos masculino e feminino, 30-34 anos masculino e feminino, 40-44 anos masculino e feminino, 50-54 anos masculino e feminino, 60-64 anos masculino e feminino.

  1. REGRAS

6.1 – As provas do Campeonato Maranhense de Aquathlon / Duathlon / Triathlon seguirão o Regulamento ITU/CBTRI/FEMATRI. As adaptações e modificações serão previamente comunicadas antes de cada prova.

6.2 – A Arbitragem aplicará as penas previstas nos regulamentos específicos, cabendo recurso destas punições, que serão julgadas pelo Júri de Competição. Tais recursos deverão ser apresentados até 15 minutos após o anúncio oficial e público da penalidade imposta, através do Resultado da prova.

6.3 – Em caso de desistência em uma prova, o atleta ou responsável deverá comunicar imediatamente a organização.

6.4 – Todos os atletas regularmente inscritos são considerados conhecedores do presente regulamento.

6.5 – Modelos de bicicletas estão liberadas em provas com ou sem vácuo.

6.6 – Na categoria mountain-bike as bicicletas deverão ser no modelo original, com pneu biscoito, sem roda fechada ou clip.

6.7 – É obrigatório o Bike check-in no dia de cada prova, na entrada da Área de Transição, durante o intervalo de 30 minutos antes da largada. O competidor deverá obrigatoriamente apresentar os equipamentos que irá utilizar na competição: bicicleta, capacete com o número de competição colado na parte frontal, materiais do ciclismo e da corrida. Após o procedimento de check-in, as bicicletas serão colocadas nos respectivos suportes na Área de Transição e os materiais nas respectivas caixas numeradas, fornecidas pela organização. Somente materiais que caibam nas caixas serão aceitos. Itens adicionais que não caibam nestas não serão aceitos.

6.8 – É obrigatório o uso, durante toda a prova, do “chip ” fornecido pela Organização. Em caso de perda, o atleta deve comunicar imediatamente a Organização. O chip deverá ser entregue à organização no momento do check-out. A não devolução do chip implicará na cobrança do valor de R$ 100,00 (cem reais) como ressarcimento à Organização pelo equipamento extraviado.

6.9 – Qualquer agressão física ou moral, por parte do competidor, ou pessoa diretamente ligada a este, a algum membro da Organização, e/ou utilização de meios ilícitos para obter vantagem perante outros competidores e/ou que comprometam a organização da prova será punida com a desqualificação da prova, podendo o atleta agressor/infrator ficar suspenso das provas da FEMATRI por um período indeterminado.

6.10 – É proibido ao atleta receber ajuda externa que não seja aquelas prestadas pela Organização da prova previstas neste regulamento (mecânica, alimentação e médica) em qualquer das etapas da prova. Excetuam-se os casos em que há indicação médica para administração de medicação e/ou medição de níveis de alguma dosagem sanguínea, desde que previamente acertadas com a Direção da Prova. Caso o Árbitro identifique a ocorrência de ajuda externa não prevista, o atleta receberá cartão amarelo e na reincidência o vermelho.

6.11 – É responsabilidade de cada atleta, quando na Área de Transição, o manuseio de suas sacolas de competição nas ações de: retirada dos materiais da respectiva caixa numerada e a recolocação de materiais na mesma durante as transições de modalidades.

PARÁGRAFO ÚNICO: Se, por algum motivo, o próprio atleta estiver impossibilitado de realizar o check-out, este poderá nomear outrem, que de posse do número de prova, chip e de documento de identidade próprio realize a retirada dos materiais e bicicleta da Área de Transição.

6.12 – A Organização não se responsabilizará por pertences de atletas, extraviados dentro ou fora da Área de Transição.

  1. REGRAS TÉCNICAS ESPECÍFICAS
    1. – NATAÇÃO

Parágrafo único: Todos os atletas deverão seguir obrigatoriamente o percurso de natação estabelecido e apresentado no Congresso Técnico.

      1. – O atleta poderá se utilizar de qualquer estilo propulsivo para mover-se na água;
      2. – É permitido ao atleta descansar segurando-se em um objeto inanimado, tal como uma bóia, entretanto este não poderá se utilizar desses objetos inanimados com o intuito de obter vantagem durante a competição, tal como maior flutuabilidade e maior propulsão;
      3. – Nos casos de emergência, o atleta deverá sinalizar que se encontra em tal situação ao levantar o braço acima da cabeça, indicando que está solicitando ajuda. Após o recebimento desta, o mesmo deverá se retirar da competição e obrigatoriamente informar ao árbitro da etapa de natação ou a Direção Técnica, que está se retirando por motivos próprios;
      4. – O atleta deverá usar obrigatoriamente a touca. Em caso de perda desta durante a etapa de natação e de forma não intencional detectada pelos árbitros, não haverá penalização do atleta. A não utilização da touca de natação, quando fornecida pela organização, poderá acarretar na penalização de desqualificação do atleta;
      5. – Não será permitida aos atletas a utilização de: unhas grandes (tanto dos pés quanto das mãos), pés de pato, palmares ou qualquer meio de flutuação e/ou propulsão que possam trazer qualquer tipo de vantagem desleal ao atleta. A não observância dessa conduta acarretará na imediata desqualificação do atleta;
      6. – É permitida a utilização de óculos de natação e também clipe de nariz;
      7. – Não será permitido a nenhum competidor nadar com o torso nu;
      8. – No caso de uso de roupa de neoprene será emitido um comunicado geral sobre o uso dessa roupa no Congresso Técnico, salientando a temperatura da água como referência para sua utilização;
      9. – Caso mudanças climáticas ocorram, o D.T. ou o Diretor de Prova poderão alterar os limites do uso da roupa de neoprene, bem como definir a sua utilização até uma hora antes da largada;
      10. – A roupa de neoprene não poderá exceder uma espessura de 5 milímetros na região do tronco e pernas e essas deverão ser completas, sem partes (inferior e superior) e deverão ter tamanho de pernas completo, não sendo permitidas aquelas que vão somente até a altura do joelho;
      11. – Ao utilizar a roupa de neoprene durante a etapa de natação, o atleta deverá estar usando sua roupa de competição (macaquinho) vestida por baixo e que não poderá ser removida após sua colocação;
      12. – Não será permitida a utilização de roupas de neoprene que não estejam aprovadas ou de acordo com as regras da ITU ou da FINA;
      13. – O atleta deverá, obrigatoriamente, contornar todas as bóias de marcação do percurso, de modo correto (conforme apresentado no congresso técnico), seguindo as determinações da organização da competição e dos árbitros de percurso;
      14. – Todo atleta que ultrapassar o ponto de cronometragem da natação, em direção à área de transição para iniciar a etapa de ciclismo, não mais poderá retornar à etapa de natação;
    1. – CORRIDA

7.2.1 – O número de prova é de uso obrigatório e tem de estar colocado na frente do corpo do competidor de forma visível e sem adulteração. A não utilização deste acarretará em desqualificação.

7.2.2 – É proibido ao atleta ser acompanhado por alguém que não seja da Organização da prova. Caso o Árbitro identifique que essa situação esteja ocorrendo, o atleta receberá cartão amarelo.

7.2.3 – É proibido correr com o torso nú. Essa situação acarretará cartão amarelo. Caso a situação não seja remediada prontamente o atleta será desqualificado.

7.2.4 – É proibido ao atleta utilizar equipamento de som. A utilização acarretará cartão amarelo e caso a situação persista o atleta será desqualificado.

7.2.5 – Quando o atleta for penalizado, este terá seu número de prova chamado pelo árbitro, que sinalizará a cor do cartão.

7.3. CICLISMO

7.3.1 – É obrigatório usar capacete duro e afivelado, sempre que estiver em contato com a bicicleta. Caso não o faça, será desqualificado.

7.3.2 – É proibido pedalar com o torso nú. Essa situação acarretará cartão amarelo. Caso a situação não seja remediada prontamente o atleta será desqualificado.

7.3.3 – O número de prova tem de estar visível na bicicleta e no capacete do atleta, e não poderá ser alterado de sua forma original. A não observância deste item implica em penalização com cartão amarelo.

7.3.4 – O atleta é obrigado a empurrar a bicicleta até a faixa de monte e descer antes da faixa de desmonte. Caso não o faça, será penalizado com cartão amarelo.

7.3.5 – É proibido o descarte de materiais fora dos locais indicados próximos aos postos de hidratação. A não obediência desta regra acarretará em cartão amarelo e penalização de 5 minutos.

7.3.6 – O atleta que for penalizado com cartão azul, amarelo e/ou vermelho terá seu número de prova chamado pelo árbitro, que sinalizará a cor do cartão.

7.3.7 – O atleta penalizado com um cartão amarelo deverá parar no Penalty Box para assinar o termo.

7.3.8 – O atleta penalizado com um cartão amarelo/ azul cumprirá uma parada de 5 minutos no Penalty Box mais próximo e assinará o termo. Durante o período de penalização o atleta não poderá se hidratar e ir ao banheiro disponível no local. Caso precise de atendimento médico, esse terá de ter autorizado pelo Árbitro da área. A recusa do cumprimento da penalização acarretará desqualificação.

7.3.9 – É proibido ao atleta utilizar equipamento de som. A utilização acarretará na penalização com cartão amarelo e na reincidência com cartão vermelho.

7.3.10 – O atleta que receber um cartão vermelho ou três cartões, independente da cor, estará desqualificado. Em caso de desqualificação, o atleta poderá finalizar a prova, exceto quando instruído do contrário pelo árbitro.

7.3.11 – Os atletas não devem fazer qualquer progresso para a frente sem estar acompanhado por sua bicicleta. Se a bicicleta está inoperável, o atleta pode prosseguir no curso de ciclismo, correr ou caminhar, enquanto empurra ou carrega a bicicleta, sem qualquer outro tipo de auxílio, desde que a bicicleta seja empurrada ou transportada de forma que não dificulte ou impeça o progresso de outros atletas. O atleta que não cumprir estas orientações será desclassificado.

7.3.12 – Em hipótese alguma o participante poderá trocar o nome da inscrição depois de tê-la adquirido. O participante não pode entregar a outra pessoa não cadastrada seu número de peito e seu chip, por qualquer que seja o motivo.

7.3.13 – O participante assume toda a responsabilidade pela sua participação na prova, devendo estar treinado e gozando de boa saúde. O participante, independente da categoria da qual participa, isenta de toda e qualquer responsabilidade, por si e por seus herdeiros, os Organizadores, Patrocinadores e/ou Apoiadores da PROVA, de quaisquer responsabilidades que possam existir.

7.3.14 – Ao participar deste evento, cada participante cede todos os direitos de utilização de sua imagem renunciando ao recebimento de qualquer remuneração/renda que vier a ser auferida relativa a direitos de televisão ou qualquer outro tipo de transmissão realizada pelos veículos de comunicação (assim como as redes sociais) deste país para esta e próximas provas.

7.3.15 – A Direção Geral da Prova reserva-se o direito de rejeitar qualquer inscrição.

  1. ENTREGA DOS KITS

8.1.1 – O local e horário de entrega dos kits serão divulgados no site www.fematri.com.br

8.1.2 – No caso do atleta estar impossibilitado de retirar seu kit, os mesmo poderá ser entregue ao treinador registrado na FEMATRI, ou representante da associação ao qual o atleta é vinculado, em provas organizadas pela FEMATRI. Nas provas não organizadas pela federação os atletas deverão cumprir o regulamento do evento.

  1. CONGRESSO TÉCNICO
    1. – Todo evento oficial da FEMATRI deverá ter um Congresso Técnico prévio onde todas as informações técnicas pertinentes a esse evento serão apresentadas.
    2. – O Congresso Técnico deverá ser de presença obrigatória a todos os atletas e uma lista de presença deverá ser disponibilizada e assinada por cada um deles presentes antes do seu início, para fins de verificação.
    3. O não comparecimento por parte do atleta no Congresso Técnico poderá implicar na aplicação de advertência e será feita a imposição da restrição de não ter direito a recurso (tanto o atleta como sua Federação) ao final do evento em caso de punição ou desqualificação, caso não seja apresentada uma justificativa;
    4. Quaisquer dúvidas de ordem técnica, de regras e regulamento, além de percurso e outras dúvidas devem ser esclarecidas unicamente durante o Congresso Técnico, não cabendo à organização ou ao DT que o façam posteriormente;
    5. Qualquer regra ou regulamento específico que apresente mudança e altere as informações divulgadas anteriormente, serão informados aos atletas durante a realização do Congresso Técnico;
    6. O Congresso Técnico deverá ser conduzido somente pelo DT, cabendo ao Diretor de Prova, Árbitro Geral e um membro da Federação anfitriã estar presente para apoiá-lo;
    7. Podem compor a mesa do Congresso Técnico, o Presidente, outros membros da FEMATRI e outros membros de federações nacionais e internacionais que estiverem presentes, além das autoridades convidadas.
  1. RANKING, PONTUAÇÃO E PREMIAÇÃO

10.1 – A contagem de pontos será individual.

10.2 – Após a realização de cada etapa será feita o somatório dos pontos conforme a colocação do atleta na geral e na categoria de faixa etária, a saber:

  • 1º lugar: 30 pontos
  • 2º lugar: 25 pontos
  • 3º lugar: 20 pontos
  • 4º lugar: 15 pontos
  • 5º lugar: 12 pontos
  • 6º lugar: 10 pontos

A partir do 6º colocado em diante a pontuação decrescerá de um em um ponto até 1 ponto. A partir daí, todos receberão 1 ponto até o último.

10.3 – O atleta será pontuado em cada etapa desde que percorra as distâncias estabelecidas e cruze a linha de chegada.

10.4 – No final do campeonato será feito o somatório dos pontos obtidos em cada prova.

10.5 – Serão pontuados apenas atletas federados do ano em curso a partir da filiação ou renovação.

9.6 – Não haverá pontuação retroativa para atletas que se filiarem após a primeira prova do campeonato.

10.7 – No ranking será dada a pontuação na categoria geral e nas faixas etárias.

10.8 – Todas as etapas terão o mesmo peso.

10.9 – Para classificação e premiação o atleta terá que ter participado de pelo menos duas das etapas do Campeonato Maranhense de Aquathlon / Duathlon / Triathlon.

10.10 – Em caso de empate será declarado campeão o atleta com maior idade;

10.11 – Não haverá ranking para as categorias revezamento e fitness.

10.13 – A premiação será para os três melhores no Geral Masculino e Feminino a partir de 14 anos.

10.14 – A partir do quarto colocado de cada naipe na categoria Geral, o atleta será premiado na faixa etária até o 3º lugar.

  1. PREMIAÇÃO DAS PROVAS/ETAPAS

11.1 – Premiação das provas para os três melhores no Geral Masculino e Feminino a partir de 14 anos.

11.2 – A partir do quarto colocado de cada naipe na categoria Geral, o atleta entra na faixa etária.

11.3 – A premiação será troféu e/ou medalhas até o terceiro de cada categoria.

11.4 – O atleta deverá se apresentar no pódio devidamente uniformizado (a roupa de sua equipe, patrocínios e apoio, etc.) ou com roupa apresentável para a ocasião.

  1. PREMIAÇÃO EXTRA DO CAMPEONATO

12.1 – Quaisquer premiações, auxílio financeiro, inscrição em prova, sorteio de inscrição ou subsídios em geral, será somente para atletas federados no ano em curso da concessão do benefício e participante de provas oficiais do calendário de provas da FEMATRI.

12.2 – Atletas com pendências documentais, financeiras, disciplinares ficam impedidos de receber qualquer premiação, antes de saldar a pendência, levando-se em conta o artigo anterior.

  1. DISPOSIÇÕES FINAIS

Este Regulamento foi elaborado pela Diretoria da FEMATRI em 30 de novembro de 2016, entra e vigor a partir desta data.

São Luis, 30 de novembro de 2016.